Novidade Receitas

Favas com lascas de bacalhau assado

Estão quase a desaparecer e por isso é aproveitar. A melhor receita mais simples com o dinossauro das leguminosas.

As favas são uma espécie de dinossauro das leguminosas e por isso deviam ser mais respeitadas. Já andam por cá desde pelo menos 3000 a.C.. Estão cheias de proteína e de personalidade. 

Aprendemos a gostar delas como se aprende a gostar de Viagens na Minha Terra, de Almeida Garret. É preciso provar na juventude, esquecer durante uns anos, e mais tarde insistir. A revelação é surpreendente como o primeiro beijo de Carlos e Joaninha.

Nesta altura do ano, as favas já começam a ficar grandes e a exigir mais tempo no tacho. Eu prefiro-as jovens e tenras: ficam extraordinárias mesmo cruas, sem pele, quebradas e temperadas só com limão, azeite e alho laminado. 

Esta receita é magnífica. Favas e bacalhau nasceram um para o outro. Foi-me dada a provar por um amigo da zona de Montemor-o-Velho. Não é fácil traçar-lhe a origem, mas a combinação de leguminosas com peixe não deve espantar ninguém.

Os restaurantes Michelin praticam-na há décadas. Nunca esquecerei um prato de salmonete com ervilhas que comi há quase 10 anos no restaurante Villa Joya.

O meu amigo Edgardo Pacheco escreveu há dias, aliás, um artigo cultíssimo sobre favas, onde cita outros exemplos de parceria piscícola, como um promissor choco com tinta e favas, do chef Vítor Sobral.

Pode sofisticar o prato juntando-lhe coentros picados e croutons caseiros, feitos na frigideira em azeite, alho e ervas. Use pão velho, qualquer um serve. Tenha apenas a preocupação de não ter o lume muito alto, para que o pão fique crocante, sem queimar. 

A minha sugestão é que use bacalhau salgado seco e faça a demolha em casa: sai mais barato e sai mais gostoso. 

Para um bacalhau graúdo deixe-o 48 horas a dessalgar, na parte de baixo do frigorífico, mudando a água duas vezes por dia. Serve qualquer parte do peixe, mas uma combinação de peças lascadas do lombo e outras mais finas e curadas será o ideal. 

Ingredientes

1 kg de favas

1 rama de cebola nova ou de alho francês (opcional)

2 litros de água

2 colheres de sopa de sal marinho

2 postas tradicionais de bacalhau 

1 rabo de bacalhau

10 dentes de alho

1 copo de azeite virgem extra

Sal e pimenta preta q.b

Preparação

  1. Ponha a água num tacho com o sal. Quando estiver a ferver reduza o lume e deite as favas. Deixe cozer entre 10 a 20 minutos, consoante as favas sejam mais jovens ou maiores. 
  2. Com o forno no programa de grelhador, pré-aquecido a 220ºC, asse o bacalhau. Deixe cozinhar por 15 minutos ou até ficar com uma ou outra ponta ligeiramente queimada.
  3. Retire o bacalhau do forno, lasque-o e descarte as espinhas. Reserve. 
  4. Escorra a água das favas e coloque-as numa panela. 
  5. Junte o bacalhau lascado às favas. Mexa, misturando tudo. 
  6. Numa frigideira frija os alhos no azeite, em lume médio, só até amolecerem. Não os deixe dourar. 
  7. Junte os alhos à panela com o azeite e envolva tudo durante três ou quatro minutos, em lume médio alto (posição 7 na indução). 

Esta receita foi publicada no site da revista Sábado, no âmbito da rubrica Cozinha de Quarentena.

1 comment on “Favas com lascas de bacalhau assado

  1. Mário Cerdeira

    E que belo aspecto que tinha! Já fiquei a salivar… Estou tentado a fazer.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.